15 de out de 2015

Diz não acreditar no amor, pra ver se o amor acredita nela

Se você leu esse título e lembrou do livro da Isabela Freitas, Não se apega não, é exatamente isso. Tirei do livro dela. Clichê? Um pouco. Sem criatividade para título? Talvez. A verdade é que eu coloquei esse título porque é exatamente isso que eu sinto no momento, na verdade, na verdade mesmo, eu não sei o que eu sinto no momento. Só sei que sinto muito.
Ao pensar neste post e na volta do blog (que eu exclui dia 04 de setembro), eu pensei na montanha russa de sentimentos que eu tô vivendo. Ontem mesmo estava super feliz, sem motivo, apenas feliz, e isso foi bom. Hoje, me senti pesada, com uma sensação ruim e senti quer as pessoas ao meu redor estavam assim também, uma áurea pesada sabe?! Não costumo acreditar nisso de áurea, sentimentos bons, signos e mais esse tanto de coisa que dizem que o universo nos traz e faz. Na verdade, eu só digo não acreditar.
Diz não acreditar no amor, pra ver se o amor acredita nela.
Diz não acreditar em signos, mas consulta o irmão da melhor amiga pra saber do mapa astral.
Diz não ser sentimental, mas não pode ver um cãozinho na rua que já quer levar pra casa.
É, eu costumo ser bem contraditória. Por que? Também não sei, incluse, se souber a resposta me avisa por favor? A verdade é que eu só queria um rumo, uma direção, uma verdade, só queria sentir muito mais do que já sinto e se não for pra ser assim, que eu não sinta mais nada.
Qual a lógica da vida se não for sentir? Sentir amor. Sentir ódio. Sentir raiva e logo em seguida sentir uma calmaria maior que as que as praias nordestinas nos trazem. Quero sempre sentir mais, mais e mais. Sempre me jogando para conseguir algo intenso de verdade. Nada de meios amores ou meios sentimentos, se for pra ser que seja ao menos intenso. Que seja dor, mas que seja intensa. Sou assim, não consigo mudar, inclusive já tentei, intensa demais e confusa o bastante para não embarcar em tanto sentimento. Confuso? Meu nome do meio.
Você que tá aí do outro lado da telinha deve estar confuso né, pois é, também esqueci de falar que tenho esse dom, consigo fazer com que as pessoas se tornem confusas iguais a mim, mas só iguais, porque piores seria impossível!
Não sei como acabar esse texto. Me desculpo por ser tão confusa e fazer você ler isso sem nenhum motivo específico? Me despeço pedindo ajuda para que o universo comece a conspirar a meu favor? Não sei, eu realmente não sei de nada, me desculpe, é um mal que veio implantado em mim desde o nascimento.

Uma garota confusa demais, intensa demais e muito contraditória. Fazer o que? Essa sou eu.