1 de nov de 2015

Paixões vem e vão, mas nunca vem em vão...

Você que tá aí do outro lado da telinha. É, você mesmo, eu provavelmente nem tem conheço, não sei da sua vida e de como foi e é sua caminhada amorosa mas eu tenho certeza que muita gente já passou por ela. Essa estrada já está um tanto desgastada né?!

Desde sempre eu idealizei a pessoa certa. Aquele príncipe encantado que me salvaria de todo mal. A pessoa que faria meu coração saltar pela boca só de pensar nela. Mas as coisas não aconteceram assim.

O garoto perfeito pra mim era um que fosse bonito estilo galã de Hollywood (Ah, qual é? Sou humana também!), extremamente inteligente e preocupado com seu futuro profissional, de boa índole, que gostasse de ler todo tipo de livro, em especial os romances e escutasse MPB comigo enquanto preparássemos o almoço dos nossos filhos (gêmeos tá?!). Que fosse romântico mas não grudento, romântico na medida certa. Que me surpreendesse a cada aniversário de namoro com um buquê de flores, mesmo que já se passassem anos desde que nos casamos. Um garoto de cabelos médios e um tanto quanto ondulados, maxilar travado e um corpo de causar inveja. Ele também deveria ser mais alto de que eu (tenho 1,70), ele deveria ter 1,85. De preferência um apaixonado pela vida e por viagens, porque eu sou apaixonada por viagens e ele deveria embarcar na loucura de fazer um mochilão sem nenhum dinheiro no bolso junto comigo.

Assim não foi feito, devo informá-los. Na verdade, foi, mas em parcelas. Primeiro veio um garoto lindo, deus grego, e muito inteligente e boa índole, mas eu não senti nada sabe?! Então deixei passar.
Depois, aquele que certamente meu filhos amariam ter como pai. Escutava MPB, lia de tudo, amava viajar e era romântico. E mesmo assim, não senti nada.
Logo após, veio um lindo de sotaque (falei que tenho uma queda por sotaques?) e muito gracinha, um verdadeiro príncipe! Mas ainda assim, não senti nada.
E assim foi por muitos e muitos meninos. Caraca, será que eu nunca ia sentir nada? Aquele desejo de ser amada e ter uma paixão monstruosa nunca seria suprido?!

Minha paixão veio depois de muito tempo, e não tinha nada do que eu pedi. NADA. Bom, ele gosta de MPB, mas não das músicas que eu gosto, e sim de outras. Ele não é romântico, é um cavalo! É orgulhoso e nunca daria um buquê nem para sua própria mãe, nem um flor arrancada de um jardim na volta pra casa, devo dizer. Ele não é o galã de Hollywood, mas é, dá pro gasto. Ele não lê romance, só sagas, e sagas chatas. Ele nem gosta de ler, prefere filmes. Não quer ter gêmeos, só um filho e muitos cachorros. Mas ele era inteligente e sabia o que queria da vida, mas viajar não está em seus planos. Bom, ele não era nada do que eu queria, mas foi ele.

No final das contas eu me apaixonei pelo garoto esquisito que salva todas as minhas fotos de perfil do facebook e fica observando quando não tem nada pra fazer. No final das contas, eu me apaixonei pelo meu pior inimigo. Alguém que eu nunca esperava ao menos dizer oi. É, no final de tudo, o coração é quem manda mesmo né? Ele manda, mas você decide se quer seguir, e eu optei por deixar ir. E ele foi.